ir
Bandeira de identificação do portal
Atualizado em 31/08/2017 12:46
Mais informações sobre o conteúdo Impressão

Resolução TRE-RS 72/1993

RESOLUÇÃO N. 72, DE 23 DE JUNHO DE 1993

Alterada pela Resolução TRE/RS 75/93

Revogada pela Resolução TRE/RS 112/99

Dispõe sobre a inutilização de documentos eleitorais e dá outras providências.

O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL, no uso de suas atribuições legais e regimentais e:

- considerando o acúmulo de papéis e documentos nos diversos Cartórios Eleitorais da Circunscrição , face à realização de pleitos sucessivos;
- considerando a inexistência de locais adequados ao seu arquivamento,

RESOLVE:

Art 1º Fica autorizada a inutilização dos documentos abaixo relacionados, nos termos das Resoluções n.9.530, de 11 de dezembro de 1973; 13.568, de 24 de fevereiro de 1987; 17.299, de 21 de fevereiro de 1991 e 17.665, de 22 de outubro de 1991, todas do c. Tribunal Superior Eleitoral, e ainda da Portaria CRE nº 03/80- TRE/RS e da Resolução nº 37/87 - TRE/RS:
1 - Folhas de votação, canhotos dos títulos eleitorais, fichas modelo seis(6) e processos referentes a eleitores (casos de pedidos de Inscrição, transferências e segundas vias) existentes nas Zonas Eleitorais desta Circunscrição, papéis esses relativos ao sistema anterior, implantação do alistamento e serviços eleitorais, mediante processamento eletrônico de dados;
2 - Papéis e documentos não retirados há mais de 5 (cinco) anos;
3 - Folhas de votação ( inclusive a modelo dois) anteriores às três últimas eleições, considerando-se, para efeito de contagem, o plebiscito de 21.04. 98, como eleição, por ter sido obrigatório o voto. ( Alterado pela Res. nº 75/93- ver fl. 4);
4 - Os comprovantes de comparecimento à eleição ( canhoto) que permaneceram junto à folha de votação, depois de processados eletronicamente;
5 - As justificativas eleitorais, depois de processados eletronicamente;
6 - Todas as cédulas de eleições que já transitaram em Julgado, dentre elas: majoritárias de 1990 - segundo turno; majoritárias de 1992 - segundo turno; do plebiscito de 21.04.93, a partir de 07 de julho de 1993;
7 - Formulários de entrada de dados nos cadastros eleitorais relativos a alistamento, transferência ou alteração de dados, e canhotos dos títulos (recibos), após a primeira eleição seguinte à expedição dos títulos eleitorais correspondentes, desde que os eleitores n~ se encontrem em situação de coincidência de inscrições; ( Alterada pela Res. nº 75/93 - ver fl. 4 )
8 - Os fichários manuais de eleitores desde que consolidados em cadastros eleitorais;
9 - Processos de impugnação de votos, desde que tenha transitado em julgado a decisão.

Art. 2º Deverão ser preservados nos Cartórios Eleitorais:
1 - Documentos de valor histórico;
2 - Documentos que possam ser úteis aos eleitores;
3 - Livros de registro de candidatos e partidos políticos;
4 - Um exemplar de cada Lei e de cada Resolução de eleições anteriores;
5 - Primeiras vias dos formulários utilizados pelos eleitores recadastrados ou alistados, que se encontrem em situação de coincidência de inscrições, ainda não decidida;
6 - Arquivos relativos a filiação partidária;
7 - Atas das eleições;
8 - Boletins de urna.

Art. 3º Para efeito de incineração dos documentos, deverá ser publicado Edital, na forma legal e afixado no lugar de costume, com prazo de 60 dias, onde constará: local, data de incineração ou trituração, decrição dos documentos.

Art. 4° A incineração ou trituração será feita em Audiência Pública, presentes o Ministério Público e interessados em geral.

Art. 5º Será lavrada ata ou termo de ocorrência para arquivamento no Cartório, com a remessa de cópia à Corregedoria Regional Eleitoral.

Art. 6º Os Juízes eleitorais ficam autorizados a destinar a entidades sem fins lucrativos os papéis já inutilizados, cabendo a tais entidades proceder à remoção do material, sem ônus para a Justiça Eleitoral.

Art. 7º Nas Zonas Eleitorais do interior do Estado, o trabalho de inutilização será acompanhado por uma comissão formada de servidores designados pelos respectivos juízes e, na capital, por designação do Presidente do TRE.

Art. 8º Revogam-se as disposições em contrário.

Sala de sessões do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre aos vinte e três dias do mês de junho de mil novecentos e noventa e três.

Des. José Vellinho de Lacerda
Presidente
Des. Sérgio Pilla da Silva
Corregedor
Teori Albino Zavascki
Carlos Alberto do Amaral
Aramis Nassif
Ivan Leomar Bruxel
Luís Carlos Barradas Leiria
Procurador Regional Eleitoral

Mapa do site
Selo Ouro CNJ










Carregando...