ir
Bandeira de identificação do portal
Atualizado em 31/08/2017 13:25
Mais informações sobre o conteúdo Impressão

Resolução TRE-RS 94/1996

RESOLUÇÃO N. 94, DE 28 DE SETEMBRO DE 1996

Revogada pela Resolução TRE/RS 100/97

Estabelece procedimentos complementares para a autorização de veiculação de propaganda partidária mediante inserções em nível estadual.

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 96, I, b, da Constituição Federal e art. 32, incisos X e XII, de seu Regimento Interno,

CONSIDERANDO o disposto no art. 5º, § 2º, II, da Resolução TSE nº 19.586/96, que autoriza o estabelecimento de procedimentos complementares a regulamentarem a apreciação de pedidos para a veiculação de inserções em nível estadual na programação das emissoras,

CONSIDERANDO a necessidade de estabelecer um calendário prévio das inserções autorizadas, de forma a proporcionar a possibilidade de acesso gratuito no rádio e televisão a todos os partidos políticos que tenham órgão de direção estadual devidamente anotado neste TRE, desde que solicitado no prazo estabelecido e preenchido os requisitos previstos na legislação,

CONSIDERANDO que tais procedimentos se harmonizam com aqueles previstos pelo c. Tribunal Superior Eleitoral, para a apreciação dos pedidos encaminhados àquela Corte,

CONSIDERANDO que aos TREs compete autorizar somente a veiculação de inserções em nível estadual, a serem feitos na programação normal das emissoras (Lei nº 9.096/95, art. 46, § 6º, II; Res. TSE nº 19.586, art. 5º, § 2º, II);

CONSIDERANDO caber exclusivamente ao TSE a autorização das demais formas de acesso gratuito ao rádio e televisão, para veiculação de propaganda partidária (Lei nº 9.096/95, art. 46, §§ 2º e 6º, I; Res. TSE nº 19.586, arts. 6º e 5º, § 2º, I), bem como a cassação, pela via da representação, do direito de transmissão no semestre seguinte (Lei nº 9.096/95, art. 45, § 2º);

RESOLVE:

Art. 1º No requerimento a ser dirigido ao TRE, no decorrer do mês de novembro do ano anterior à veiculação da propaganda partidária, o partido instruirá o pedido com:
I - prova de que faz jus à transmissão pretendida, fornecida pela Mesa da Câmara dos Deputados (Lei nº 9.096/95, art. 46, § 2º; art. 6º, caput, da Res. TSE nº 19.586/96);
II - indicação das emissoras que gerarão as referidas inserções, sendo a veiculação obrigatória apenas para as que operem com a mesma programação normal (Lei nº 9.096/95, art. 46, § 3º; Res. TSE nº 19.586/96, art. 6º, § único);
III - sugestão de datas para a sua veiculação (Lei nº 9.096/95, art. 46, § 3º; Res. TSE nº 19.586/96, art. 6º, § único);
IV - indicação do tempo de cada inserção, a quantidade diária e total, até o máximo de dez inserções de trinta segundos ou cinco de um minuto ao dia, perfazendo o total de até 40 inserções individuais por semestre, (Lei nº 9.096/95, art. 46, § 7º, e art. 49, inc. II; Res. TSE nº 19.586/96, art. 5º,§ 3º).
§ Parágrafo único - Na eventualidade de mais de um partido sugerir datas coincidentes, será observado o critério da ordem em que os pedidos foram protocolizados na Secretaria Judiciária do Tribunal (Lei nº 9.096/95, art. 46, § 4º; Res. TSE nº 19.586/96, art. 7º , § único).

Art. 2º O deferimento do pedido estará sujeito à observância, pelo requerente, das seguintes condições:
I - fica a cargo exclusivo do partido:
a) a produção do material a ser veiculado e a sua entrega diretamente a cada emissora geradora, no prazo de até doze horas do início da transmissão, sob pena de cancelamento automático das inserções autorizadas (Lei 9.096/95, art. 46, § 5º; Res. TSE nº 19.586/96, art. 9º);
b) a confecção da mídia de veiculação, a ser entregue a cada emissora geradora no prazo de até sete dias de antecedência do início da transmissão que, uma vez superado, ensejará a possibilidade da emissora veicular nos intervalos disponíveis, observado os limites de horário definidos na legislação (Acórdão TRE/RS ref. Proc. Cl. XI, nº 14/96);
II - qualquer alteração do dia, horário e tempo a ser utilizado nas inserções autorizadas, fundamentada em motivo relevante ou de força maior, estará adstrita à existência de datas disponíveis, devendo o pedido ser protocolizado com a antecedência de, no mínimo, quinze dias da data fixada para o início da veiculação das inserções; na hipótese de cancelamento da transmissão, o prazo será de setenta e duas horas do início da veiculação, para as comunicações necessárias (Res. TSE nº 19.586/96, art. 10, caput).

Art. 3º Em razão de relevante motivo, compete à Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (Agert), solicitar ao Tribunal Regional Eleitoral, eventual alteração no horário da transmissão anteriormente fixado (Res. TSE nº 19.586/96, art. 10, § 2º).

Art. 4º Caberá à Corregedoria Regional Eleitoral receber e instruir representação de partido político, para ver cassado o direito de transmissão por meio de inserções em rede estadual da propaganda de outro, por afronta ao art. 45, §§ 1º e 3º, da Lei nº 9.096/95, bem como as reclamações de partido por afronta ao seu direito de transmissão em nível regional, em bloco ou em inserções (Res. TSE nº 19.586/96, art. 11, § 2º), submetendo suas conclusões ao Tribunal (Res. TSE nº 19.586/96, art. 1º, § 3º).

Art. 5º Esta Resolução entra em vigor na data de sua aprovação, aplicando-se, no que couber, o disposto na Resolução nº 19.586/96, do Tribunal Superior Eleitoral.

Sala de Sessões do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, aos vinte e oito dias do mês de setembro do ano de mil novecentos e noventa e seis.

Des. Celeste Vicente Rovani
Vice - Presidente, no exercício da Presidência
Des. Élvio Schuch Pinto
Corregedor Regional Eleitoral Substituto
Dr. Norberto da Costa Caruso Mac-Donald
Dr. Leonel Tozzi
Dr. Manoel Volkmer de Castilho
Dr. Nelson Antonio Monteiro Pacheco
Dr. Marco Aurélio Heinz
Dra. Vera Maria Nunes Michels,
Procuradora Regional Eleitoral.

Mapa do site
Selo Ouro CNJ










Carregando...